Dicas para arrendar apartamentos em Tenerife e em Lisboa

Porquê Tenerife e Lisboa?

Simples… Porque nasci em Lisboa e, atualmente, vivo em Tenerife. Isto faz com que tenha conhecimento de causa acerca das duas cidades.

Antes de mais vou explicar a diferença entre arrendar e alugar, para que não hajam confusões:

Embora a maior parte dos dicionários descreva que os verbos arrendar e alugar são sinónimos, é prudente a aplicação do termo arrendar no momento em que se trata de bens imóveis, tendo como exemplo: “arrendar uma casa”, e do termo alugar, no momento em que nos queremos referir a bens móveis, tal como “alugar um automóvel ou uma mota”.

Esta afirmativa possui por base o artigo 1023º do Código Civil, que diz que “a locação diz-se arrendamento no momento em que fala sobre algo imóvel, aluguer quando sucede sobre algo móvel.” Facto interessante é que, na altura em que nos referimos a uma casa de férias, proferimos o termo aluguer ao invés arrendamento, talvez porque o período de tempo de locação seja curto. Pelo menos, não possui um cariz tão prolongado como o da locação de uma casa de habitação.

Arrendar tem sido a opção mais ecolhida pelos espanhóis e pelos portugueses nos últimos tempos. Com o facto de que as instituições financeiras atribuem um crédito habitação com muito mais dificuldade, muitas famílias teem no arrendamento uma hipótese bastante viável, se não a única, para poderem ter casa. Para além disso, é importante lembrar que as presentes dificuldades do mercado laboral fizeram com que muitas pessoas fizessem uma mudança de uma região para outra, por motivos profissionais. Nestas situações, optar por arrendar é práticamente inevitavel.

Visto isto, a procura pelo arrendamento está a aumentar imenso. Para algumas agências imobiliárias, as operações quase que duplicaram.

Alguns responsáveis por estas instituições, acreditam que o arrendamento vai continuar a subir nos anos que se seguem. E os preços das habitações para arrendamento deverão baixar.

Recorde-se que em Março saiu uma nova lei do arrendamento urbano. Esta faz com que haja uma atualização das rendas mais antigas. Segundo alguns dados, em Portugal e Espanha, existiam cerca de 650 mil contratos de arrendamento antes de 1990, sendo que 47% destas habitações tinham rendas abaixo dos 60 euros mensais. Para muitos especialistas a nova legislação veio dinamizar o mercado de arrendamento na Peninsula Ibérica.

Independentemente disto, o certo é importante manter alguns cuidados neste setor para garantir que todas as partes (inquilinos e senhorios) ficam a ganhar.

Deixo-vos um video de Lisboa. E, mais abaixo, um de Tenerife.

Agora sim, irei deixar exatamente oito dicas para quem procura arrendar casa nestes sitios…

 

Faça uma pesquisa tendo em conta o que idealiza.

A primeira coisa a fazer é perceber e definir o tipo de habitação que vai querer. Como também a localização e o preço limite para pagamento. É muito importante ter em conta quanto o seu orcamento pode suportar. Tenha em mente que a taxa de esforço deverá andar à volta dos 33% ou seja, no máximo 1/3 do seu rendimento.

 

Faça uma visita ao imovel

No caso de já ter uma habitação em vista, o melhor é fazer-lhe uma visita para ver como está o seu estado. Principalmente no que diz respeito à estrutura, sistema elétrico e canalização.

Assegure-se de que o proprietário faça todas as reparações antes de arrendar a casa. Caso a habitação seja arrendada com bens imóveis é necessário fazerem um inventário, identificando os mesmo e fazendo uma descrição do estado em que se encontram.

 

Vai ter que dar algumas garantias ao proprietário

Muito provavelmente, o senhorio irá solicitor-lhe algumas garantias, como caução e fiador. A primeira é para o dono da casa fazer a reparação de danos que, eventualmente, poderão acontecer na habitação. Não se esqueça de saber quais são as condições de devolução da caução. Relativamente ao fiador é importante ter em conta de que se este renunciar ao beneficio de excussão prévia, se o arrendatário não conseguir cumprir com as obrigações explicitas no contrato, o senhorio poderá solicitor responsabilidades junto do fiador.

 

Faça um forte trabalho de pesquisa antes de se decidir

Na era da tecnologia, não há como utilizar a internet para encontar uma casa à sua medida. À vários sites onde poderá procurar. Um dos mais conhecidos, e que eu aconselho é a Remax Portugal e a Remax Espanha.

Através desta ferramente fica, também, com uma perfeita noção dos valores médios que estão a ser praticados para arrendamento de um imovel com as caracteristicas que pretende.

 

Não fique apenas pela internet, recorra a uma imobiliária

Recorrer a uma imobiliária é mais uma opção. Quanto mais opções tiver, mais hipóteses terá de encontrar a casa que pretende. Para além disso, os resultados serao com certeza mais rápidos. O mediador mobiliário irá apoiá-lo em todos os passos e cuidados que terá de ter em conta durante todo o processo.

 

Questione. Solicite documentos e informações sobre o imovel

Um dos cuidados que deve ter em conta, quando procura uma habitação para arrendamento, será pedir junto do proprietário alguns documentos referente à casa. Principalmente: a certidão de teor das inscrições e descrições em vigor e a caderneta predial atualizada. O primeiro permitirá analisar se há algum tipo de ónus ou de encargos sobre o imóvel. Solicite, também, a licença de utilização ou escritura onde se faça menção à sua existência; o certificado energético e os documentos de identificação do senhorio.

 

 Quando for assinar o contrato tenha em conta alguns detalhes

O contrato deverá ser feito por escrito e conter as indicações habituais como identificação de todos (inclusive da casa), valor da renda, data para pagamento, duração do contrato, etc… Verifiquem como fica definido o regime de atualização da renda.

Tenha em conta de que se o contrato não mencionar nada sobre o ultimo ponto, a atualização sera feita tendo em conta a taxa de inflação publicada em Diário da República até fim de Outubro de cada ano. Além dissé importante clarificar no contrato os prazos de denuncia e não renovação do mesmo.

Recomendo que fique bem definido quem ficará responsavel pelos consumos domésticos ou seja, se estão ou não incluidos na renda.

 

Solicite sempre os recibos

Por ultimo, não se esqueça de pedir o recibo que comprova que pagou todas as rendas. Parte do valor poderá ser deduzido no seu IRS.

 

Como prometido, segue um video de Tenerife: